Notícias
o mais importante sobre o mercado imobiliário
Notícias
voltar \ Bruxelas antevê ajustamento

Bruxelas antevê ajustamento

11 jul 2019
Bruxelas antevê ajustamento
Geral
Depois de vários alertas, a Comissão Europeia (CE) começa a vislumbrar uma tendência de moderação nos preços das casas em Portugal, no entanto, considera que este ajustamento deverá manter-se lento.

"Os preços das casas continuaram a crescer rapidamente, acima de 9% (em termos homólogos) no primeiro trimestre de 2019, desacelerando apenas marginalmente em comparação com os dois últimos anos", indica Bruxelas nas suas previsões de verão, divulgadas esta quarta-feira, dia 10 de julho de 2019.

Dados divulgados também ontem pelo Eurostat, o gabinete de estatística europeu, mostram que Portugal registou a terceira maior subida homóloga nos preços das casas (9,2%) no primeiro trimestre deste ano e a segunda maior face aos últimos três meses de 2018 (3,6%), entre os 28 Estados-membros da União Europeia. 

Variação homóloga dos preços das casas na UE[1º trimestre 2019 Vs 1º trimestre 2018]
Variação homóloga em %443,67,39,41,955,94,46,92,97,4-0,84,37,16,96,911,36,58,24,28,19,23,38,45,70,71,51,55,34,4Zona EuroEUBélgicaBulgáriaRepública ChecaDinamarcaAlemanhaEstóniaIrlandaEspanhaFrançaCroáciaItáliaChipreLetóniaLituâniaLuxemburgoHungriaMaltaHolandaÁustriaPolóniaPortugal*RoméniaEslovéniaEslováquiaFinlândiaSuéciaReino UnidoIslândiaNoruega-2,502,557,51012,5República Checa Variação anual: 9,4
Fonte: Eurostat

Na zona euro e na União Europeia (UE), o preço das habitações subiu, em ambas, 4,0% em termos homólogos e 0,3% na variação trimestral.

A maior subida dos preços das casas entre janeiro e março, face ao primeiro trimestre de 2018, foi registada na Hungria (11,3%), seguindo-se a República Checa (9,4%) e Portugal (9,2%), tendo sido observado apenas um recuo homólogo, em Itália (-0,8%).

Na comparação com o último trimestre de 2018, Portugal teve a segunda maior subida (3,6%), depois da Hungria (3,7%), e seguido pela Croácia (3,5%), tendo sido registados recuos em Malta (-4,2%), no Reino Unido (-1,3%), na Irlanda (-1,0%), na Finlândia (-0,8%), em Itália (-0,5%) e na Alemanha (-0,3%).

Preços das casas vão deixar de subir tanto

Também o Bankinter prevê um abrandamento da subida dos preços das casas em Portugal, mas segundo o banco espanhol de uma forma mais expressiva, levando os valores "para um nível mais sustentável". Antecipa que os preços cresçam 4% este ano e 1,5% em 2020, segundo a sua Estratégia de Investimento divulgada na terça-feira.

Este mesmo cenário foi avançado em entrevista ao idealista/news por Vítor Pereira, membro da comissão executiva do Bankinter. “A nossa visão é que em 2019 os preços continuarão a crescer, mas a um ritmo menor, e em 2020 idem”, dizia o responsável no início do mês passado.

A "maior oferta de imóveis para venda permitirá equilibrar o mercado, levando a um abrandamento do ritmo de subida dos preços para um nível mais sustentável, em linha com o crescimento nominal da economia", indica no documento preparado pela sua equipa de Research, com as perspetivas para o 3.º trimestre de 2019.

De acordo com os resultados do Índice de Preços Residenciais, divulgados em 17 de junho de 2019 pelo INE, o preço da habitação em Portugal manteve o ritmo de subida no primeiro trimestre deste ano, embora em Lisboa e no Porto se note já um abrandamento na subida dos preços.


 
Veja Também